O Pintor Miguel Barbosa

 

             Biografia 

 

Miguel Artur de Morais e Macedo Alves Barbosa, filho de um português e de uma brasileira, nasceu em Lisboa em 1925, onde vive e desenvolveu o seu trabalho. Licenciado em Finanças pelo ISCEF - Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras, hoje ISEG - Instituto Superior de Economia e Gestão, da Universidade de Lisboa, rapidamente saiu dessa área, dedicando-se antes às actividades  de  pintor, poeta e paleontólogo.

 

Tem um vastíssimo curriculum literário, com cerca d 80 títulos. Escreveu poesia, foi romancista e novelista (com o pseudónimo de J. Penha Brava), policiais (com o pseudónimo de Rusty Brown) e dramas.[1] [2]

Como Pintor o seu nome artístico é Miguel Barbosa.

 

A sua literatura foi proibida pela Censura do regime do Estado Novo. De facto, em 18.01.08 declarou a um jornal o seguinte:  “Muitas das minhas peças foram proibidas pela Censura e só anos depois puderam ser encenadas. Recordo perfeitamente ‘O Palheiro’, um texto meu que há várias décadas o Teatro Experimental do Porto quis levar à cena e posteriormente o D. Maria, mas o regime não o permitiu”.[3]

 Em 18-09-2009  foi-lhe atribuída a  " Medalha Jorge Amado" pela União Brasileira de Escritores.[4]

 

Miguel Barbosa conviveu várias vezes com José Barata de Castilho, que o visitou em sua casa, onde era recebido por ele e sua simpática esposa, em  Lisboa. Aí  pôde observar com grande admiração a sua colecção de fósseis, que eles os dois descobriram em Portugal e sítios que visitaram em África, E.U.A., México e Brasil,  além dos que tinham obtido por troca com paleontólogos amigos. Diz ele que Miguel Barbosa é uma pessoa extraordinária, afável, simples e culta. A maior parte da colecção já tinha doado à Câmara Municipal de Sintra, com o compromisso de constituir um museu de História Natural, mas nos anos 2001 a 2003 esperava, já quase sem esperança, pela realização dessa obra.[5]

Felizmente, o seu sonho concretizou-se, pois em Agosto de 2009 foi inaugurado o Museu de História Natural de Sintra, com os milhares de peças arqueológicas coleccionadas por ele e sua mulher, fruto da referida doação.[6]

 

Participou em inúmeras exposições em Portugal, que incluem as que realizou em Lisboa, Porto, Óbidos, Castelo Branco, entre outras cidades portuguesas.

 Realizou as primeiras exposições em 1974 em Barcelona (Espanha), depois em 1980 em Lisboa e E.U.A. Daí em diante passou a expor praticamente todos os anos, seja em locais portugueses como estrangeiros. Observando o seu curriculum publicado pela Galeria Minerva quando ali expôs pela primeira vez em 2006, conclui-se que realizou múltiplas exposições em Portugal em espaços que não eram de galerias de arte, enquanto no estrangeiro expôs sobretudo em galerias. O último ano coberto por aquele texto é 1999, sendo de salientar a sua participação na Expo SIG (Exposição Internacional de Apoio aos Ciganos)  (vide [2]).

Através da Galeria A-DEGA, em exposições organizadas por José Barata de Castilho, expôs com este pintor e outros artistas em Cós-Alcobaça[7] em 2001, no Exposlão 2002 (Batalha),[8] na PortoArte 2001  e Portoarte 2003 (Porto).[9] 

 Com o mesmo pintor  (que foi o Comissário do Stand de Portugal) e outros artistas, expôs também na FAIM - Feria de Arte Idependiente en Madrid,  Stand “Portugal – “País Invitado”, 2003 (do qual José Barata de Castilho foi o Comissário). No estrangeiro expôs também em Paris no "Salon des Nations", "Corner Gallery" Londres "Jubilé du Mondial d'Arts Plastiques Simpósio" Nice, "La source aux prés", Bruxelas e os de Rio de Janeiro, Nova Iorque, Osaka, Montreal e Génova, entre muitos outros espaços.

Está representado em diversas colecções particulares e institucionais (museus, empresas, instituições públicas) em Portugal e no estrangeiro. Ganhou muitos prémios, nomeadamente, falando apenas em medalhas de prata e medalhas de ouro que recebeu: medalha de prata Concours International 19ème Académie de Lutèce, Paris; Chevalet d'or, Ambily, França; Gold Medal Associacion d'Incentivo l'l'Elite, França; Medalha de Ouro da "melhor selecção artista europeu" Chateau de Saint Victor, França. Foi nomeado representante de Portugal na exposição de arte "Montmartre na Europa", Paris, 1996.

 

 

 


[1] http://www.aminhasintra.net/sintraclopedia/miguel-barbosa

[2] http://minervacoimbra.blogspot.pt/2006/09/poesia-e-pintura-de-miguel-barbosa-na.html

[3] Correio da Manhã, Cultura, “Um artista multifacetado”, http://www.cmjornal.pt/cultura/detalhe/um-artista-multifacetado

[4] Blog Pérola da Cultura, Tita Fã, http://peroladecultura.blogspot.pt/2011/11/miguel-barbosa-85-anos.html, terça-feira, 15 de Novembro de 2011

[5] Informação oral de José Barata de Castilho; vide também Catálogo Portugal-FAIM,  https://issuu.com/portugalfaim/docs/portugal-faim, pág. 17

[6] http://www.cm-sintra.pt/museu-de-historia-natural-de-sintra

[7] Fonte Catálogo Colectiva “Outono 2001“, da Galeria A-Dega

[8] Fonte: Catálogo Exposalão 2002 da Galeria A-Dega

[9] Vide Catálogos Portoarte 2001 e Portoarte 2003 páginas respeitantes à galeria A-Dega